28 agosto 2007

Personal amigo

Só pode ser mesmo o final dos tempos... Domingo 26 de agosto, saiu na Folha de São Paulo uma reportagem sobre os "personal friends", o mais novo serviço do "pague e faça de conta que você é especial" ou do " você não precisa mais ter tempo para sua namorada, seus filhos, nem seus amigos, você trabalha muito e paga para alguém fazê-lo".
Não se trata de um psicólogo, tampouco de um garoto de programa, você agenda um horário, desembolsa de R$50,00 a R$300,00 por hora, e pode desabafar no ombro amigo profissional. Os rapazes têm currículos profissionais variados, mas todos se consideram bem comunicativos e "bons de papo". Fala sério... eu fiquei chocada, será que o individualismo chegou a tal ponto que o cara não consegue nem ter confiança para falar de si mesmo a alguém? Será que o cara não se sente mais mal por estar pagando por um "amigo" do que pela própria solidão em si? Parece um atestado resignado de incapacidade de se relacionar minimamente! Ok, todos temos nossos momentos de solidão e miséria existencial, mas qual é meu amigo! Vai viver sua solidão com um pouco de dignidade ( para poder quem sabe, curá-la)!...E o personal friend! Aposto que esse nunca teve um amigo de verdade na vida, ele só sabe ser um "bom papo".
E não é só isso... Tem uma matéria complementar. Você ainda pode alugar um pet (cão ou gato) durante o final de semana:
- É muito prático e conveniente! dizem os usuários do serviço ( e dane-se o stress que o vai-e-vem causa nos bichos).
Muito triste...Tomara que essa moda não pegue.

4 comentários:

andrea saladini disse...

Oi Ka,
Tô chocada!!! Alugar um pet é péssimo!! Coitado do bichinho!! Se um ser humano se sujeita à uma coisa dessa, vá lá...faça o que quiser...mas o pobre do bichinho não tem escolha.
Essa é a minha opinião!!
Beijos,
Déa Saladini

Cássio disse...

Oi Karin,
Parabéns pelo blog!!
Apesar de sermos vizinhos (ainda somos?), faz tempo que não nos vemos ou falamos. Mas, se precisar de um amigo, não precisa alugar, me liga.
Bjo, Cássio

Anônimo disse...

Oi Karin,
Parabéns pelo espaço e obrigada pelo convite.Vou dizer que a reportagem me deixou preocupada, pois esta coisa de personal amigo se for apenas pela companhia e estamos dando um nome diferente para a situação de acompanhante tudo bem. Mas se se trata de alguem que se contrata para conversar, trocar idéias, desabafar e tudo o mais porque não fazer um processo terapêutico com alguem que estudou e está melhor preparado para isso tudo? Creio que depois de um processo deste podemos garantir que a pessoa conseguirá se inserir novamente no contexto social. Fica a dica
super beijo
Ana D'Alessandro

Lu disse...

Bom, quase tudo o dinheiro paga né.Não deixa de ser solução.Sabe aquela pessoa chata que te procura que gosta de vc, mas que por algumas caragas da agua vc queria ver longe? a solução é cobrar, quando o impertinente te ligar.
Lu