12 maio 2008

Uma história de fé!


Semana passada aconteceu algo transformador!
Tinha umas coisas pra fazer na região da avenida Paulista então, tracei um roteiro de uma pequena caminhada a pé, embora tenha ido da minha casa (no bairro de Pinheiros) até a região de carro. Aproveitei a oportunidade da caminhada que faria para levar minha cadela para dar seu rolê diário. Chegamos, paramos o carro, e iniciamos nossa voltinha... eis que surge uma moradora de rua, com seu cachorro, gritando com ele loucamente enquanto andava... ele veio em nossa direção para brincar com minha cachorra... e a mulher começou a gritar com os dois. Minha cachorra que é adotada, e ainda um pouco traumatizada se assustou, escapou da coleira e fugiu. A princípio não me preocupei pois ela sempre foi muito obediente e volta rapidinho quando chamamos. Mas o cachorro e a mendiga doidona correram atrás dela, e ela não voltou. Assim que eu percebi a gravidade do momento comecei a ir atrás dela, mas uma roda de pessoas se formou ao meu redor e me impediram de correr atrás dela desesperadamente, porque minha barriga está um tanto quanto grande ( 8 meses). A minha primeira surpresa boa, nesta história foi essa, quanta gente solicita e prestativa eu encontrei... muita gente me ajudou, oferecendo-me água, procurando a cachorra comigo, pegando meu telefone para me avisar caso a encontrassem. Então, nesse meio tempo, ela sumiu. Sumiu mesmo, chamei reforços na família e procuramos por ela das 18 até umas 23h mais ou menos, e nada. Cansada voltei pra casa, fizemos cartazes para colocar nos postes no dia seguinte... mas antes, fiz um altarzinho com fotos dela, do meu guru, de São Francisco, vela, flores, frutas e rezei com toda força que eu ainda tinha, pedi ao Espírito, que criou tudo, e para quem nada é impossível, que a guiasse de volta até nós. Visualizei ela chegando em casa, sã e salva. Meio descrentes, meio esperançosos, tontos de cansaço fomos tentar dormir. Foi quando às 4 da manhã toca o interfone: era o guarda da rua avisando que nossa cachorra estava lá embaixo no portão (exatamente como eu visualizei!) Calculem a nossa alegria! Os sinos tocaram, uma luz se abriu, nos abraçamos e eu não conseguia parar de agradecer a Deus. Ela chegou exausta e meio perturbada, mas intacta sem um arranhão, 10 horas depois!
Não sei como.... só sei que ela é muito esperta, e que a fé move mesmo montanhas e cachorros perdidos em São Paulo!
Foi transformador... me sinto a protagonista daquela música: fé na vida, fé no homem, fé em Deus...!!!


Foto: Evyl/Evelyn

Um comentário:

mimomor disse...

Olá Karin. Adorei sua história de fé. Engraçado, pois no nosso dia-a-dia esquecemos de como é importante ter fé nas pessoas e nas coisas...
Obrigada!
Michelle Monte Mor