01 outubro 2007

Olha o aviãozinho!


Fazer uma criança comer alimentos saudáveis é uma luta e uma arte. Quero compartilhar 4 métodos que funcionam. Mas, é sempre bom lembrar que não há nada no mundo que supere o exemplo dos pais. Se você não come verduras, frutas e legumes, não é seu filho quem vai comer primeiro.

O primeiro método é do apelo estético: comprar utensílios divertidos, arrumar os alimentos no prato formando figurinhas, carinhas, bichinhos...a idéia é comer "as arvorezinhas do jardim", ou "o cabelo da menina", e não o brócoli! Ainda nesta linha, outro dia comprei na Liberdade forminhas de biscoitos com formatos de bichos muuuito lindas. Dá pra cortar os legumes, diferentes cores, diferentes formas...

O segundo é o método do eufemismo. O efeito psicológico de trocar o nome real das vegetais pelo genérico "verdurinha" é sem dúvida muito positivo. Verdurinha soa muito mais amigável e inofensivo aos impressionáveis ouvidos infantis do que brócoli, agrião, escarola, chicória...! Funciona. E fique calmo, seu filho terá uma vida toda pela frente para associar os nomes às coisas.

Outro método, e acho que o mais usado também, é o apelo à vaidade. Funciona muito falar que tal fruta faz bem pra isso ou pra aquilo, e que eles vão ficar lindos e fortes. A vaidade intelectual também pega bem, use-a no presente, por exemplo, ao invés de dizer que vão ficar inteligente se comer isso e isso, dizer que (já) é um sinal de muita esperteza quando a criança experimenta as coisas antes de dizer que não gosta!

O último e mais trabalhoso método é o da ajuda na cozinha, mas é também o que traz os resultados mais surpreendentes. Quando for preparar algo, peça para criança te " ajudar " (algumas pedem por si mesmas), na verdade mesmo, não ajudam muito, porque dá o maior trabalho fiscalizar a " coordenação motora em desenvolvimento", mas vale a pena. Com este método incrível já vi verdadeiros milagres acontecerem: bolo integral com frutas secas, salpicão com salsão e uvas passas e salada de agrião serem devorados e repetidos!!!


O prato da foto acima é da linha "Playfood" do Rodrigo Leão. Quatro estampas diferentes para você literalmente brincar com a comida!

3 comentários:

Faby disse...

Karin, adorei o texto. Parabéns!

Bjuca,
Faby

CORTE RADICAL disse...

só tem que tomar cuidado com as analogias hahaha
uma vez meu marido veio com essa pro meu filho qdo ele era pequeno: shitake= orelha de gigante.
meu filho, que reconhecidamente é uma versão mais radical do "mãe, compra brócoli" não come cogumelo até hj!
e outra dica bem menos gentil é: não quer, então não come (NADA). quando tiver fome, come aquilo que não quis comer, só que frio. Old school roots! funciona e tem impacto.

karin disse...

É verdade, minha vó usava essa técnica com meu pai...